LEIA TAMBÉM

Depois da aprovação, em segundo turno, do texto-base da reforma da Previdência, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, disse acreditar que os destaques apresentados à proposta serão rejeitados pelo Plenário nesta quarta-feira (7).

Luis Macedo/Câmara dos Deputados Rodrigo Maia: votação dos destaques deve ser concluída nesta quarta-feira

Maia mencionou especificamente destaque que retira da proposta trecho, já aprovado em primeiro turno, que determina que o beneficiário receba, no caso da morte de seu parceiro ou parceira, 60% do benefício do titular, mais 10% por dependente. De acordo com deputados da oposição, a medida permite o pagamento de benefícios inferior a um salário mínimo.

continua depois da publicidade

continue lendo

Para evitar a retirada do trecho da reforma, o secretário especial da Previdência, Rogério Marinho, assinou portaria que deixa claro que nenhum pensionista terá renda inferior ao salário mínimo.

“No ponto mais polêmico, o secretário Rogério Marinho já construiu maioria ao assinar a portaria que garante que nenhum brasileiro vai receber menos de um salário mínimo”, disse Maia.

O presidente da Câmara estimou que os destaques comecem a ser votados por volta de 11 horas e que a votação prossiga até as 22 horas desta quarta-feira. A sessão terá início às 9 horas.